Como construir um drone

Chassi (Frame)

O primeiro componente que você deve escolher quando estiver pensando em construir seu multicóptero (quad, hexa, octo, etc) é o Chassi. Isso porque este é o principal componente do veículo e é ele que vai determinar todo o restante dos componentes necessários.

Para escolher o chassi, você precisa primeiro decidir qual a finalidade do seu multicóptero. Você vai apenas voar dentro de casa (indoor)? Quer um drone de corrida? Vai fazer FPV (visão em primeira pessoa)? Vai carregar uma câmera para fotografia e filmagem aérea? Ou quem sabe até uma câmera mais pesada como uma DSLR?

É preciso escolher isso antecipadamente, pois cada chassi tem uma aplicação específica, e não existe chassi “bom para tudo”. O preço também é uma preocupação. Normalmente quanto maior o drone, mais caras são as peças, e o aumento no custo costuma ser exponencial.

É possível montar um drone de 100mm por menos de US$ 100, enquanto que um drone de 450mm dificilmente sai por menos de US$ 500, e um drone de 1000mm (1 metro) raramente custa menos do que US$ 1000. Tudo fica mais caro a medida que o tamanho aumenta.

Você vai pesquisar muito por ai, ver quadricópteros grandes, hexacópteros ainda maiores, pequenos quadricópteros para corrida e todo tipo de configuração que puder imaginar, mas quando se é novato, você vai acabar caindo no FlameWheel F450 da DJI (ou em algum Clone Chinês dele).

F450

O F450 é um tipo muito versátil de drone. Ele permite que você “voe por ai” com relativa facilidade, aceita tranquilamente uma câmera pequena e colocar um gimbal não é um grande desafio. É uma plataforma que pode ser atualizada para ser desde um simples brinquedo até um “peso pesado” capaz de carregar uma câmera de 1 kg.

Porém, essa versatilidade tem um preço: Motores, ESC, hélices e baterias para ele custam um pouco caro para quem é novato e só quer experimentar o hobby. Além disso, acidentes VÃO acontecer, e quanto maior for o aeromodelo, maiores são as chances de danificar seus componentes, e consertar também sairá mais caro.

Q250

Por outro lado, o Q250 (ou outros drones entre 200 e 280) é pequeno, leve, ágil, robusto, tem peças mais baratas e é capaz de carregar uma câmera GoPro ao custo de 1 ou 2 minutos a menos no tempo de voo com uma carga da bateria. As desvantagens são obvias: Você tem menos espaço para embarcar coisas nele, vai ter menos capacidade de carregar peso e provavelmente terá menos tempo de voo, já que a bateria é menor.

Pessoalmente, recomendo começar com o Q250, o ZMR 250 ou o, justamente por ser mais barato. Mas se você fizer questão de ter alguma capacidade de carga, o F450 é a opção boa para quem é iniciante.

O F330 pode parecer uma opção “intermediária” entre o Q250 e o F450… Mas não se engane, ele usa basicamente os mesmos componentes do F450, então não representa nenhuma economia. Pelo contrário, você vai ter o mesmo custo, porém com uma complexidade maior, já que vai ter menos espaço para acomodar os componentes.

Hexacópteros, Octocópteros, Y6, X8 e outras configurações com mais de 4 motores – ESQUEÇA POR ENQUANTO. Aprenda primeiro com os Quads, depois invista nesses maiores. A chance de você se frustrar com as falhas que vão acontecer são menores.

Os chassis tem diferentes materiais. Os mais comuns são o plástico, a fibra de vidro e a fibra de carbono.

  • Plástico é mais barato e costuma ser leve, mas não é muito tolerante a acidentes, e vai quebrar com impactos mais fortes.
  • Fibra de carbono também é leve, mas é muito mais resistente a impactos que o plástico. Mas custa mais caro também. E cuidado! Pode não parecer, mas fibra de carbono é um condutor elétrico. Muitos novatos queimam FCs ou incendeiam baterias por não observar essa característica. Ela também atrapalha transmissão e recepção de sinal de rádio, então é preciso cuidado na hora de posicionar as antenas neste tipo de chassi.
  • Fibra de vidro não é tão leve quanto a fibra de carbono, mas é mais barata, e é mais resistente do que o plástico. É um excelente intermediário entre carbono e plástico.

Uma vez que você escolheu o chassi que vai usar, chegou a hora de escolher o restante dos componentes. O fabricante do chassi sempre “recomenda” o motor, a hélice e a bateria que devem ser usados. Geralmente a recomendação do fabricante é a opção mais segura, mas não há problema em alterar isso se você souber o que está fazendo.

No Chassi F450 por exemplo, o fabricante recomenda que se use motor do 2212 ao 2216 de 920KV, bateria 3S e a hélice de 10 x 4,5 polegadas. Vou detalhar essas especificações em cada tópico a seguir, fique tranquilo.

Autor: Daniel Ribeiro

Daniel Ribeiro é um Nerd apaixonado por motos e velocidade. Escreve o Motos Blog, o maior blog sobre Motos do Brasil. Mas como todo Nerd, gosta de acumular conhecimentos profundos sobre todas as áreas que puder. Com isso, acaba tendo interesse em outras áreas, como Aviação, Eletrônica, Mercado Financeiro, entre outros. Então, usa o Outros.net para postar tudo aquilo que não cabe no Motos Blog.

4 pensamentos em “Como construir um drone”

  1. Salve, amigo! Muito obrigado por este trabalho bastante elucidativo e de boa didatica! Te pergunto: se vc fosse montar um racer 250 e, eventualmente instalar um gimbal e um modulo GPS, qual FC, firmware e fork vc escolheria supondo um orcamento sem limites. Abs! Adoro motos, tenho uma 2T e outra 4T.

    1. 250 com Gimbal? Acho que não vai ficar muito bom amigo. Vai ficar pesado.
      Eu vejo que você está tentando montar um “Mavic”… Drone pequeno com estabilização de imagem. Neste caso, recomendaria um frame de 280, que te permite usar hélices de 6 com folga.
      Quanto a pergunta: Controladora SP Racing F3 Deluxe (boa e barata) com firmware iNavFlight.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *