Como construir um drone

Rádio

O rádio é composto de duas partes distintas: O transmissor (TX), que é o controle remoto do aeromodelo, e o receptor (RX), que fica embarcado no aparelho.

Para que um Multicóptero seja controlável, é necessário um sistema de rádio com pelo menos 4 canais, sendo um canal para controlar Arfagem (Pitch), um para controlar Rolagem (Roll), um para controlar Guinada (Yaw) e o último para controlar o acelerador (Throttle). Você pode eventualmente desejar ter mais canais para controlar outras funções do aparelho, como por exemplo luzes LED, ou dar comandos específicos ao FC (ativar o RTH ou os modos AH ou PH por exemplo), controlar o Gimbal, controlar a câmera, etc.

Transmissor (TX)

O transmissor de rádio é por onde você controlará o seu multicóptero. Existem muitos tipos de transmissores, com diferentes características, mas todos eles tem em comum as duas alavancas de controle principais. Cada alavanca dessas controla 2 canais específicos (um no eixo vertical e outro no eixo horizontal).

Normalmente, nos aeromodelos, a alavanca da esquerda controla a aceleração e a guinada, e a alavanca da direita controla arfagem e rolagem.

O transmissor de rádio é algo que você normalmente compra apenas uma vez se comprar direito na primeira vez, pois você pode ter um único transmissor e com ele operar todos os seus veículos radio-controlados.

Existem transmissores de todos os preços e especificações. O que você deve procurar é por um que seja compatível com PPM, que é o padrão de comunicação mais usado pelos FCs. SBUS ou IBUS são outros protocolos muito comuns também.

Embora seja possível voar com apenas 4 canais, é sempre bom você pensar no futuro, e optar por um modelo que ofereça mais canais. O Gimbal, sozinho, consome mais 2 ou 3 canais (se for de 2 ou 3 eixos). Você pode querer optar também por controlar os modos de voo do seu FC (AP, AH, PH, Loiter, etc), e para isso você vai usar mais um canal (ou mais, dependendo do tipo de ajuste que você quiser). Controlar leds, controlar outros eletrônicos. Enfim, cada função que precisa ser ativada remotamente vai usar canais do rádio, então um rádio com muitos canais é sempre preferível. Para quadricópteros, escolha um que tenha pelo menos 6 canais, mas eu recomendo fortemente que escolha um com 8 canais ou mais.

Outro detalhe que deve ser observado é o alcance. Alguns modelos de rádio podem ter alcance de vários quilômetros, outros, apenas algumas centenas de metros. Alguns permitem que seja ligado um módulo externo que amplifica o sinal para que ele alcance mais longe.

Alguns modelos possuem recurso de “telemetria”, que é quando o aeromodelo envia informações para o rádio, e este exibe em sua tela essas informações. Entre estes dados estão a situação da bateria no aeromodelo, a qualidade do sinal do rádio (RSSI), coordenadas de GPS, etc. Algumas dessas funções podem necessitar de módulos separados (tanto embarcados no aeromodelo quanto “anexados” ao TX.

Receptor (RX)

Esta é a outra ponta da comunicação sem fio. Esta pequena caixinha vai embarcada no seu multicóptero. Cada um dos terminais elétricos na ponta dele é um canal, que vai ligado ao FC do veículo ou a outros acessórios (Gimbal, controle de leds, de câmera, etc).

Ele obviamente deve ser compatível com o rádio transmissor. Para não ter erro, escolha sempre da mesma marca, e procure por padrões de comunicação abertos, como o PPM.

Seu receptor não precisa ter a mesma quantidade de canais que o transmissor, porém você ficará limitado pelo menor número de canais (do transmissor ou do receptor).

Você pode ter diversos veículos, cada um com um receptor próprio, e pode controlar todos eles usando o mesmo transmissor (mas não ao mesmo tempo, obviamente).

Autor: Daniel Ribeiro

Daniel Ribeiro é um Nerd apaixonado por motos e velocidade. Escreve o Motos Blog, o maior blog sobre Motos do Brasil. Mas como todo Nerd, gosta de acumular conhecimentos profundos sobre todas as áreas que puder. Com isso, acaba tendo interesse em outras áreas, como Aviação, Eletrônica, Mercado Financeiro, entre outros. Então, usa o Outros.net para postar tudo aquilo que não cabe no Motos Blog.

4 pensamentos em “Como construir um drone”

  1. Salve, amigo! Muito obrigado por este trabalho bastante elucidativo e de boa didatica! Te pergunto: se vc fosse montar um racer 250 e, eventualmente instalar um gimbal e um modulo GPS, qual FC, firmware e fork vc escolheria supondo um orcamento sem limites. Abs! Adoro motos, tenho uma 2T e outra 4T.

    1. 250 com Gimbal? Acho que não vai ficar muito bom amigo. Vai ficar pesado.
      Eu vejo que você está tentando montar um “Mavic”… Drone pequeno com estabilização de imagem. Neste caso, recomendaria um frame de 280, que te permite usar hélices de 6 com folga.
      Quanto a pergunta: Controladora SP Racing F3 Deluxe (boa e barata) com firmware iNavFlight.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *