Como melhorar o desempenho do Acer Aspire One e outros Netbooks no Windows XP

Recentemente comprei um Netbook Acer Aspire One 110 para minha mulher. É um mini-notebook bem bacana, com tela de 8.9 polegadas, 1,5 GB de RAM e SSD de 8 GB no lugar do HD. O processador é um Intel Atom 1.6 Ghz e ele vem com Linux pré-instalado. O Linux que vem nele até que é legalzinho, mas minha mulher queria o Windows XP nele e se recusou a usar o Linux, então tentei instalar o Windows usando o procedimento que eu mesmo escrevi aqui a algum tempo atrás, mas por algum motivo que eu não quis investigar, não deu certo desta vez. Aparecia um “Error 17″ na hora de dar o primeiro boot e não saia disso.

Acabei encontrando outro procedimento mais legal, onde o PenDrive substitui totalmente o CD e não existem comandos difíceis no DOS. Usei este procedimento e consegui instalar o XP no netbook sem dificuldade.

Acontece, que para minha surpresa, o desempenho estava beirando o impossível. Era MUITO MUITO lento, bem abaixo do que eu esperava que fosse (e olha que eu já sabia que o Atom não é um processador poderoso).

Pois bem, pesquisando um pouco no Oráculo, descobri que o problema do Netbook não é o processador, mas sim o SSD, que é extremamente lento, ainda mais em operações de em gravação randômica (coisa que o Windows mais faz com seu grosseiro arquivo de paginação). Então, procurando mais informações sobre como melhorar, eu encontrei algumas dicas que quero compartilhar com vocês. Desde já, posso dizer que o netbook deixou de ser um lixo para ser O MELHOR NOTEBOOK QUE JÁ TIVE, ou no caso, minha mulher.

Também desde já adianto que alguns dos procedimentos são complicados e exigem calma e paciência para ler todo o material e entender o que será feito. O principal procedimento, do EWF, é o que mais trouxe resultados,
porém, é o que mais exige leitura paciência, pois envolve alterar arquivos e parametros do Windows, além de exigir que você realize os outros passos que vou descrever também.

Bom, vou direto as melhorias que você pode fazer para melhorar o desempenho:

Desligar o arquivo de paginação
Se você tem muita memória RAM (pelo menos 1,5GB), então é uma boa saída para reduzir bastante os acessos ao disco. Para isso, vá em Iniciar > Painel de Controle > Abra “Sistema” > Clique na Guia “Avançado” > Clique no botão “Configurações” dentro da caixa “Desempenho” > Clique na Aba “Avançado” > Clique no botão “Alterar” dentro da caixa “Memória Virtual” > Selecione a unidade C: e escolha “Sem arquivo de paginação”.
Esta dica vai te dar um ganho no desempenho do computador e ainda vai te liberar espaço no disco. Mas atenção: Só faça isso se você tem muita memória RAM, pois do contrário, faltará memória para executar seus programas.

Desligar o cache dos Browsers
Os navegadores de Internet (Internet Explorer, Firefox, Opera, etc) guardam os arquivos que você vai baixando da internet a medida que navega, como páginas, imagens, sons e etc. Ele faz isso para que, na próxima vez que você acessar o site, esses arquivos já estão carregados no computador, e então o acesso fica mais rápido. Acontece que essas gravações tornam o computador mais lento, pois o SSD é extremamente lento, então o melhor é desligar o recurso. No Internet Explorer, vá no menu Ferramentas > Opções da Internet, na Guia Geral, seção Histórico de Navegação, clique em Configurações, escolha “Sempre que eu visitar a página da Web”. No campo “Espaço a ser usado”, coloque 8 (oito), clique OK e OK. No Firefox, digite na barra de endereços “about:config”, e procure por uma configuração “cache”. Onde houver true, troque para false, e onde houver um número, troque para 0.

Desligar os temas visuais
Os temas visuais não necessariamente usam o disco, mas consomem memória RAM e processamento, recursos que agora se tornarão mais escassos. Para desligar os temas visuais no Windows, vá em Iniciar, Painel de Controle, Vídeo, e no campo “Tema”, escolha “Tema clássico do Windows”, e clique em Ok.

Usar cache de disco com o EWF
O EWF mereceria um artigo a parte. Ele é a mudança mais significativa deste processo. É o que vai trazer o maior ganho em desempenho, porém, deve ser usado com cautela, pois seu funcionamento é bem peculiar. Para entender o EWF, é necessário entender um pouco do motivo pelo qual ele foi criado.

EWF significa Enhanced Write Filter, ou Filtro de escrita melhorado. Ele é um filtro que fica entre o disco e o sistema operacional, e é responsável por receber e processar toda e qualquer solicitação de escrita ou leitura ao disco (ou SSD). Ele foi criado para o Windows XP Embedded Edition, uma versão do Windows XP própria para ser usada em aparelhos inteligentes que não são necessariamente computadores, como carros, geladeiras, caixas eletrônicos, e etc. Isso significa que o EWF não vem no Window XP Home ou Professional que você está acostumado a usar. Mas não se preocupe, pois é perfeitamente possível usar o EWF em qualquer versão do Windows XP: basta seguir este guia.

O EWF tem 3 modos de operação: Desligado, onde ele trabalha como se não existisse, ou seja, da mesma forma como você já está acostumado a trabalhar com o seu Windows. Disco, e RAM, com a diferença entre os dois é que o último armazena as alterações na memoria RAM. É nesta que vamos nos focar.

Quando o EWF está ativo em uma unidade (por exemplo, C: ), esta unidade fica de “apenas leitura”, como se estivesse protegida contra gravação, e o Windows então não realiza mais tarefas de gravação nessa unidade. Porém, o Windows precisa gravar arquivos para funcionar, assim como a maioria dos programas que você mais usa. O EWF então reserva uma área da memória RAM para armazenar essas gravações. O Windows então, ao acessar os arquivos da unidade C, recebe o que está realmente lá MAIS as alterações que estão na memória RAM que são gerenciadas pelo EWF, portanto, o funcionamento é transparente e nem o usuário, nem o windows, percebem que os arquivos não estão sendo “de fato” alterados no disco.

Para quem conhece um pouco sobre Banco de dados transacional, a analogia é mais simples. É como se você desse um BEGIN TRANSACTION ao ligar o PC, e dali para frente, tudo o que você faz não é definitivo, até que você dê um COMMIT.

Pois bem, agora que já tem uma noção do funcionamento, percebe onde está o ganho, não é? O ganho de desempenho está justamente quando você elimina a gravação no SSD. Este processo (que é lento) acaba por deixar todo o PC lento, e passando este processo para uma memória extremamente rápida como a memória RAM, você ganha velocidade. Porém, você cria dois problemas com isso:
1) Você está limitado pela quantidade de memória RAM.
2) Você não tem mais onde armazenar seus arquivos permanentemente.

A medida que você vai usando o PC, o EWF acumula as requisições de gravação na memória RAM. Este cache tende a crescer a medida que você usa o PC até que se torne insuportável e você não disponha de mais memória RAM para abrir qualquer programa que seja. Portanto, esta solução é mais indicada para computadores com uma grande capacidade de RAM. O AA1 (Acer Aspire One) só permite até 1,5GB de memória, que são suficientes para isso, porém, é necessário usar as outras técnicas de otimização para ajudar a manter a memória RAM limpa e o computador funcionando por mais horas sem que sua memória seja totalmente utilizada. (por isso é importante fazer as outras otimizações que eu listei acima.)

O segundo problema tem duas soluções: Uma é fazer o EWF “liberar” seu cache, gravando os dados não salvos no disco, e assim, tornando estes dados permanentes. A outra solução é usar um pendrive ou cartão de expansão de memória como armazenamento permanente. O EWF pode ser configurado para atuar apenas na unidade C (por exemplo), mantendo as outras unidades com o funcionamento normal, ou seja, você grava e os arquivos ficam gravados no cartão.

Fazendo o EWF salvar os dados do cache, você faz ele gravar, de uma só vez, todos os dados da memoria ram no HD. Este processo, apesar de ser bem mais rápido do que o processo normal de gravações aleatórias, ainda é bem lento.
O AA1, navegando na internet por 1 hora, pode levar até 20 minutos para gravar os dados… Certamente é um tempo que você não quer perder ao desligar o PC. Por isso, recomendo que você faça a seguinda opção, e adquira um cartão SD de uns 4 ou 8 GB para armazenar seus documentos, e deixe a unidade C apenas para os programas e sistema operacional. Assim você pode desligar o PC normalmente (sem dar o COMMIT) e seus documentos não serão perdidos.

Uma grande vantagem é que seu PC ficará praticamente imune a vírus… Você poderá danificar seu Windows, apagar arquivos e tudo mais… E ao reiniciar o PC, o HD estará intácto da mesma forma que estava antes. Isso dispensa o uso de um anti-virus, o que torna o PC ainda mais rápido.

Agora que sabe um pouco sobre o funcionamento do EWF, vamos a prática: Como instalar e configurar o EWF no Windows.

Primeiro passo é baixar este arquivo mágico do EWF. Nele tem tudo o que você precisa.

O segundo passo é descompactar ele em alguma pasta no seu PC, e fazer o seguinte:
1) Copie o ewf.sys para a pasta C:\Windows\system32\drivers
2) Copie o ewfmgr.exe para a pasta C:\Windows\system32
3) Renomeie o arquivo c:\ntdlr para ntdlr_bak e copie o arquivo ntdlrewf para o C:\, renomeando-o para ntdlr.
4) Execute o Reg1.reg
5) Execute o Reg2.reg

Reinicie o computador. Perceba como ele vai iniciar mais rápido. Agora, crie um arquivo qualquer na unidade C (pode ser um TXT ou uma foto). Reinicie novamente o PC e perceba que o arquivo não está mais lá.

Pronto! Seu EWF está funcionando. Alguns comandos que você deve saber:
Desligar o EWF (reinicie depois de dar este comando)
ewfmgr c: -disable
Ligar o EWF (reinicie depois)
ewfmgr c: -enable

Salvar os dados da RAM para o disco (depois disso, o EWF estará desligado e precisará ser ligado novamente)
ewfmgr c: -commitanddisable -live

Para salvar os dados da RAM no disco sem desabilitar o EWF na proxima
sessão.
ewfmgr c: -commit

Para ver o status do EWF e quanta RAM ele está consumindo.
ewfmgr c:

É isso. Com essas dicas espero que consiga deixar seu Netbook mais rápido e viável para o uso diário. Se tem mais alguma dica, deixe um comentário!

Até mais!