Como ser um ciclista em São Paulo ou em grandes cidades

Não podemos negar que andar de bicicleta ajuda a reduzir o trânsito de São Paulo e dos grandes centros e capitais. Mas, não é muito seguro dividir as ruas com carros, ônibus, motos e caminhões.

A fragilidade do ciclista perante esses veículos o torna vulnerável. Por causa disso, muita gente que poderia ir ao trabalho de bicicleta ou até a outros lugares, acaba desistindo da ideia por medo, causado pela falta de vias feitas para o ciclista, como faixas exclusivas, que dificultam o acesso dele.


Mas o que falta para que seja seguro usar a bicicleta como meio de transporte?

O número de mortes de ciclista já tem caído, mas ainda é alto. Em 2006 era de 83. Em 2010 foi 45. Isso por causa do aumento das ciclovias – porém, elas ainda não são suficientes.

Aumentar o número de ciclovias, de fato, seria uma saída. Conscientizar o motorista para respeitar os ciclistas também é importante – com campanhas, como a campanha realizada para respeitarem a faixa de pedestres, você se lembra?

Além disso, os próprios ciclistas precisam ser mais prudentes e usar sinalização, como capacete, pontos luminosos nos pedais e banco (na parte de trás), se possível, instalar um espelho retrovisor… e, acima de tudo, andar em baixa velocidade, com muita cautela.

Ciclistas também precisam respeitar semáforos. É comum vê-los ultrapassando farol vermelho. Isso aumenta a probabilidade de ocorrer um acidente. Por isso, todo cuidado é pouco.

Em dias de chuva, o cuidado deve ser redobrado – até por questões de saúde. Usar botas e capas de chuvas, caso haja uma enchente, estar protegido.

*Este conteúdo foi produzido pela equipe da Limpeza de Caixa D Agua Sampex, que visa melhorar a qualidade de vida das pessoas. Isso através de difusão de informações em sites e blogs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *